PEDRO LACERDA


artista visual + fotógrafo
brasília [br]


TRABALHOS
COMERCIAL
SOBRE


︎





Quase não-fotográfico é uma série produzida a partir de um conjunto de experiências cotidianas vividas e que têm a sensibilidade visual de determinadas situações. A aparente despretensão dos registros realça o snap como método de produção, tornando a fotografia um processo veloz ao mesmo tempo que sutil.
Quase não-fotográfico
2016
Brasília, DF
Papel Sulfite 75gr
Impressões fotográficas coladas em parede com cola branca (lambe-lambe)
84 x 59 cm (cada)
12 fotos


Os registros são produzidos em torno da ideia de despretensão a partir A aparente despretensão dos registros realça a aleatoriedade de encontro com essas cenas que são fotografas em aparelhos de celular. feito por aparelho de ce  de celular Cenas  um carro branco estacionado em meio à uma superquadra de Brasília, pencas de amareladas bananas amontoadas em uma prateleira de supermercado, um vaso sanitário com produto de limpeza de saturada cor azul, dentre outras banais cenas. Porém, ao perceber as potencialidades artísticas de tais rastros visuais da vida cotidiana, o trabalho vem a discutir de que forma essas visualidades impulsionam um pensar criativo não só no que tange à fomentação de uma determinada poética e forma, mas principalmente na percepção desta própria realidade como uma verdadeira obra de arte no museu da vida.

detalhes da expografia

Buscando referências expográficas em artistas como James Rosenquist, Andy Warhol, Barbara Kruger e Yayoi Kusama, bem como em cartazes publicitários e anúncios de produtos em supermercados, a expografia do projeto se torna ítem essencial para a composição da poética aqui trabalhada. Perfiladas em duas linhas horizontais, as imagens, impressas em papel sulfite, se constituem como um grande painel fotográfico via técnica de lambe-lambe (colagem de impressões/papéis em superfícies como paredes e muros).







detalhes da montagem
exposição (in)constante
Galeria Espaço Piloto, Brasília [df]
2016







fotos individuais